Logotipo do CBCD - Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva
CBCD

Câncer colorretal: é possível prevenir? 

19/09/2023

O câncer colorretal é tumor que tem origem na mucosa que reveste o intestino grosso, também conhecido como “cólon”. A doença tem incidência semelhante em pessoas de ambos os sexos a partir dos 50 anos de idade, com predomínio leve entre homens. Na mulher só é suplantado pelo câncer da mama como causa mais comum de morte por câncer e, no homem, pelo câncer da próstata. O câncer do cólon e reto, portanto, é o segundo em incidência nessa categoria entre homens e mulheres, desde que não sejam considerados os tumores da pele não melanomas. 

É o único câncer que pode ser prevenido, pois a maioria dos casos começa com lesões benignas no intestino. Pode também ser rastreado, seja por meio de testes de sangue oculto, que são um tipo simples de exame de fezes, seja por meio da colonoscopia, ambos métodos mais comumente usados para tal. 

No artigo de hoje, você vai entender um pouco mais sobre a doença e descobrir como é possível preveni-la. Acompanhe!

O que pode causar o câncer colorretal?

Não existe causa exata para o câncer colorretal, porém, é possível dizer que existe relação entre esse tipo de tumor e fatores genéticos

Isso significa que as pessoas que já tiveram familiares com a doença possuem probabilidade maior de desenvolvê-la.

Além disso, outros fatores como pólipos do tipo adenoma e afecções intestinais crônicas, como a doença inflamatória intestinal também podem facilitar o aparecimento do câncer colorretal. Outros fatores que concorrem favoravelmente são obesidade, tabagismo e sedentarismo

Sintomas que indicam câncer colorretal

O desenvolvimento do câncer colorretal costuma ser silencioso. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), quando a doença está em seu estágio inicial, é raro que apareçam sintomas. No entanto, há alguns sinais que devem chamar a atenção, entre eles: 

  • Fezes com sangue;
  • Alterações persistentes no hábito intestinal (alternando entre prisão de ventre e diarreia);
  • Perda de peso sem causa aparente;
  • Mudança no formato das fezes (finas ou muito compridas);
  • Dor e distensão abdominal ou desconforto;
  • Sensação de fraqueza, entre outros.

Por isso, é importante estar atento a qualquer um desses sintomas e consultar o médico para uma avaliação precisa, principalmente se não houver melhora em alguns dias.

Como funciona o tratamento?

O tratamento dependerá da localização exata da lesão, do tamanho e do grau de desenvolvimento do tumor e se ele ainda não se espalhou para outros órgãos. Para os pólipos, que são precursores desse câncer, inclusive os que já trazem esse câncer superficialmente, o tratamento pode ser por colonoscopia, retirando-se essa lesão com segurança durante o exame. No entanto, nos casos mais avançados, a cirurgia torna-se o tratamento de escolha, seja a convencional, popularmente conhecida como “laparotomia aberta”, por videolaparoscopia ou mesmo cirurgia robótica, quando se retira um segmento do cólon ou do reto ou todo ele. Nem sempre a cirurgia é suficiente, a depender do local acometido do intestino ou do grau de evolução do tumor. Há casos, especialmente no reto, em que se deve lançar mão da radioterapia, geralmente antes da cirurgia. E para os casos mais avançados, há várias opções de quimioterapia para somar forças ao tratamento cirugico. Alguns pacientes com câncer no reto podem ter seu tumor tratado com radioterapia e quimioterapia somente mas são casos especiais e que devem ser acompanhados de perto por especialistas . 

Quais as formas de prevenção da doença?

A adoção de hábitos de vida saudáveis é a melhor forma de prevenir o câncer colorretal.

Diante disso, devem ser tomadas algumas medidas importantes, como manter o peso adequado, praticar atividades físicas regularmente e manter alimentação saudável, rica em frutas, cereais e legumes, fugindo de alimentos processados.

Também deve-se evitar o consumo excessivo de carne vermelha, não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas em demasia. E lembre-se: o diagnóstico precoce é o seu maior aliado contra a doença! Deve-se ter medo da doença em si e não dos exames e procedimentos para preveni-la ou solucioná-la! 

Se você tem 45 anos ou mais ou se tem familiares com câncer colorretal, converse com seu médico. Ele saberá lhe orientar e lhe encaminhar para o especialista quando for necessário. E em qualquer idade, frente a sintomas intestinais, especialmente sangramento e alteração do hábito intestinal, procure a ajuda de seu médico ou de um especialista. 

O conteúdo foi esclarecedor? Possui alguma outra dúvida sobre o assunto? Deixe um comentário e compartilhe o conteúdo!

Foto do Dr. Agnaldo Soares Lima.
Sobre o autor
Prof Maria Cristina Sartor
Titulações: PROFESSORA DE CLINICA CIRURGICA, COLOPROCTOLOGISTA, ENDOSCOPISTA, CHEFE DO DEPARTAMENTO DE CIRURGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
Está precisando de um Cirurgião Digestivo na sua região?
Busque um especialista clicando aqui!
Doutores | CBCD

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira o Instagram do CBCD!
/cbcdigestivo
Siga o CBCD no Instagram!

Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Direitos reservados CBCD Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva © 2024
Site atualizado em:
07:25 | 20/05/2024
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram